16 novembro 2010

Um comentário:

J. disse...

Alegra-me ver que sua sensibilidade ainda é a mesma. E ainda me toca com a mesma intensidade de sempre. Alegra-me entender que, a despeito da distância, do tempo e da vida, certas coisas simplesmente não mudam. Entre elas, minha admiração, meu respeito e meu carinho por você. E a vontade de te encontrar e te abraçar apertado, pra matar toda a saudade que esse tempo de distâncias me deixou. (E quero colocar esse colibri na parede da minha casa...)
Beijo carinhoso, querido.